Sobre Nós

Estamos preparados para assessorá-lo em todo o processo de investimento de maneira abrangente, identificando o seu perfil, ajudando a definir objetivos, traçando estratégias e trabalhando com experiência, conhecimento e informação para identificar oportunidades e tomar boas decisões.

Leia Mais

São Paulo: Rua Princesa Isabel, 94 - Conjunto 32

contato@grupotaiga.com.br

Investimentos: (11) 3090-3983
Seguros: (11) 5542-9226

Mais sobre Fundos: Renda Fixa DI

Fundos de investimento em Renda Fixa podem parecer todos iguais, mas não são! Existem fundos desta classe que são bastante conservadores e existem alguns  que compram ativos bastante arriscados.

Melhor separar o joio do trigo para evitar surpresas, certo?

O mais comum desses fundos é o Fundo de Renda Fixa DI. Ele é um Fundo Referenciado – ou seja tem uma referencia como objetivo. E esta referência é a taxa “CDI”.

[Como o objetivo deste post não é falar sobre esta taxa eu vou resumir: Durante suas operações diárias os bancos recorrentemente precisam de dinheiro para encerrar o caixa corretamente ou para sustentar algum resgate monetário muito alto. Então o que ele faz é pegar dinheiro emprestado com outro banco por prazos curtíssimos. O dinheiro é emprestado via Certificado de Depósito Interfinanceiro. Ao final do dia é feito o cálculo de uma média entre todas as taxas negociadas no dia gerando a tão famosa Taxa CDI ou DI. Esta taxa está diretamente relacionada com a taxa de Juros definida pelo Banco Central.] 

Pois bem, os fundos referenciados DI  não precisam se aventurar em nenhuma estratégia.  Só precisam comprar títulos vinculados a esta taxa (95% dos seus ativos devem acompanhar este benchmark, o CDI).

O que esperar dele?

Espere que ele acompanhe o CDI e que tenha facilidade para resgate (normalmente m D+0).

Quais as vantagens?

Você dificilmente terá surpresas. Ele não será o investimento que mais vai render na sua carteira,  mas dificilmente terá oscilações. Este tipo de fundo é usado pelo mercado como um fundo de “caixa”: Dinheiro disponível e sem surpresas.

Quais os riscos?

Eles  precisam ter pelo menos 80% do seu patrimônio investido em emissões do Tesouro Nacional ou Títulos e Valores Mobiliários de Renda Fixa de baixo risco de crédito.

Resumindo: São os Fundos de Investimento  mais conservadores e de mais baixo risco desta classe de fundos.

Onde pode estar a pegadinha?

Já que este fundo não requer o desenvolvimento de nenhuma estratégia de investimento, ele não precisa de uma equipe de gestão renomada e numerosa para a tomada de decisão de investimentos. Assim, ele conceitualmente precisa ser um fundo de investimento barato! Se a taxa de administração for muito alta certamente a performance do Fundo  será comprometida e ele deixa de fazer sentido.

Um fundo deste tipo que cobre mais de 0,5% ao ano de taxa de administração não faz o menor sentido.

O que eu posso considerar no lugar deste tipo de Fundo?

- Quer evitar a taxa de administração, seguir com um produto extremamente conservador e com baixo risco? Então você pode gostar de comprar um título do tesouro: o Tesouro Selic ou LFT

- Por outro lado, se você busca mais performance, maior rentabilidade e abriria mão da mesma liquidez ou do baixíssimo risco de crédito, você pode considerar outros Fundos de Investimento de Renda Fixa. Você terá mais informações sobre eles nos próximos posts.

 

Ricardo Maia Mulder van de Graaf