Sobre Nós

Estamos preparados para assessorá-lo em todo o processo de investimento de maneira abrangente, identificando o seu perfil, ajudando a definir objetivos, traçando estratégias e trabalhando com experiência, conhecimento e informação para identificar oportunidades e tomar boas decisões.

Leia Mais

São Paulo: Rua Princesa Isabel, 94 - Conjunto 32

contato@grupotaiga.com.br

Investimentos: (11) 3090-3983
Seguros: (11) 5542-9226

Seguro AUTO, o que é realmente importante?

 

 

A principal preocupação daqueles que nos solicitam o seguro do seu veículo é, justamente, garantir o próprio bem, ok, mas o que de fato estão comprando?

Os riscos externos a que um automóvel está sujeito são muitos e envolvem, desde um roubo/furto, como colisão parcial ou total e danos que a própria natureza pode causar, como a queda de uma árvore, granizo e inundação/alagamento, portanto, claro, se pensarmos apenas no bem, por si só, já vale a pena estarmos tranquilos e certos de que, se algum imprevisto acontecer, este estará garantido, ok.

Agora, e se atropelarmos alguém e “esse alguém” for o responsável e provedor familiar com alto poder aquisitivo? Ou se, ao colidirmos em outro veículo, além dos danos materiais causados, os ocupantes deste sofrerem algum dano físico ou, pior, vier a falecer?

Todo e qualquer dano material, corporal e/ou moral causado à terceiros, SE CONTRATADO junto com o seguro auto, terá amparo securitário e, a meu ver, é o mais importante deste ramo securitário. Ora, enquanto o problema é seu (auto), é factível de solução, quer seja breve ou morosa, mas se passamos ao terceiro, haverá cobrança, na esfera judicial ou extrajudicial e, dependendo do que for, pode arruinar um planejamento de vida. Nunca deixem de lado este importante segmento do seguro auto: RCFV.

O Responsabilidade Civil Familiar Veículos é subdividido em Danos Materiais (o bem material do terceiro, como exemplos, um veículo, uma árvore/poste da prefeitura, o muro/portão de um morador, etc), Danos Corporais (as vidas, por exemplo, os passageiros que aguardam num ponto de ônibus, um ciclista ou um pedestre, etc) – contratado a segundo risco do seguro obrigatório DPVAT portanto, só será acionado no que exceder ao prejuízo coberto – e Danos Morais (perdas sofridas por um ataque à moral e à dignidade das pessoas).

Em breve falarei um pouco sobre coberturas adicionais, de passageiros, riscos excluídos e perda de direitos...

 

 

Stefan Krieger